quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

A Discussão sobre a Exploração dos Combustíveis Fósseis agita as águas do Mar Cáspio


Mar Cáspio
Imagem capturada na Internet

Reconhecido por sua localização e importância estratégicas, quer seja como via de comunicação entre os países limítrofes quer seja por constituir-se em uma zona de grande produção de petróleo e gás do mundo, entre outros aspectos, a situação do Mar Cáspio vai ser retomada este ano, com previsão para o primeiro semestre de 2018, a fim de resolver as normas efetivas de sua exploração econômica.
 
E, sob esse contexto, paira a sua classificação como mar ou como lago, uma vez este é considerado um mar por suas águas salgadas, enquanto outros o consideram como o maior lago de água salgada do mundo. Esse impasse quanto à definição de seu status (mar ou lago) é crucial, tendo em vista que as normas e as políticas de sua exploração são bastante distintas entre ambos os casos. O que demanda um acordo comum entre os países que circundam as suas águas e que possuem interesse em explorar – por completo – os seus recursos naturais, sobretudo, os energéticos (combustíveis fósseis, como petróleo e gás natural).
 
Localizado entre a Europa e a Ásia, o mar Cáspio é um exemplo de mar “Fechado ou Isolado”, tal como o mar Morto e o Aral. No entanto, ele é o maior deles, possuindo aproximadamente 370 mil km².
 
Os chamados mares Fechados (Isolados) se encontram localizados no interior dos continentes e não fazem comunicação com oceanos ou mares. No caso do mar Cáspio, este recebe água de três grandes rios, o Volga, o Ural e o Terek, além de outros cursos fluviais menores.
 
Dentre os maiores, o rio Volga – o mais extenso da Europa - é o responsável pela maior parte de aporte de água doce que o alimenta, assim como dos resíduos contaminantes (sólidos e líquidos) de quase metade da população da Rússia e de um 1/3 dos resíduos das produções industriais e agrícolas praticadas ao longo das margens do curso do referido rio. 
 
A extensão costeira do Mar Cáspio é de aproximadamente 7.000 Km. Em suas margens vivem cerca de 12 milhões de pessoas, distribuídas entre os cinco países que o delimitam: Rússia (ao noroeste), Azerbaijão (ao sudoeste), Cazaquistão (ao nordeste), Turcomenistão (ao sudeste) e o Irã (ao sul).

 

Mapa de Localização do Mar Cáspio
Imagem capturada na Internet

A superfície da sua água está 27 metros abaixo do nível do mar e sua profundidade é variável de acordo com a localidade (profundidade média, 180 m), não superando os 1.025 metros (profundidade máxima), correspondendo assim, em um corpo d’água baixo e raso.
 
A ele foi atribuído a classificação de mar devido ao seu grande teor salino, constatado por sua água bastante salgada. Contudo, a quantidade de sais existentes é inferior em comparação a encontrada nos oceanos.
 
Seu nome deriva dos antigos habitantes da região, os povos kaspi (Cápios), que viviam em sua margem ocidental.
 
Sua importância econômica e estratégica consiste na ocorrência de grandes reservas recursos energéticos em sua bacia sedimentar, o que lhe confere ser uma das regiões de maior produção de petróleo e gás natural do mundo. Segundo fontes de pesquisa, as reservas de gás natural são maiores que as de petróleo.
 
Embora, Azerbaijão tenha sempre se destacado na extração/exploração de óleo e gás em suas águas territoriais (desde a sua descoberta na segunda metade do século XIX), o anúncio recente da ocorrência de grandes reservas de petróleo nas profundezas do lago ampliaram a sua área de exploração e, consequentemente, o interesse dos países localizados ao seu entorno. Extraem-se também sal, areia, calcário, argila e outros recursos do mar.
 
 Exploração de petróleo e gás no Mar Cáspio
Imagem capturada na Internet
Fonte: Russobras

Ainda sob esse contexto econômico, no Mar Cáspio há ocorrência do peixe esturjão, do qual se extrai as suas ovas das fêmeas para a produção do caviar, produto de luxo e de valor comercial muito elevado. O Mar Cáspio é considerado, tradicionalmente, como produtor dos melhores caviares do mundo 
 
De acordo com especialistas, mais de 80% dos esturjões do mundo habitam, precisamente, as águas do Mar Cáspio.
 
Pesca dos esturjões no Mar Cáspio
Imagem capturada na Internet

 
Extração das ovas do Esturjão (fêmea)
 
 
 Caviar
Imagens capturadas na Internet
Fonte de ambas: Vinho Sem Segredo
 
 No entanto, há décadas tem-se observado uma progressiva redução do esturjão devido à contaminação de suas águas, a pesca ilegal, entre outros fatores, o que acaba tornando o produto (caviar) cada vez mais raro e valioso no mercado mundial, assim como a tomada de medidas imprescindíveis a evitar a sua extinção, como moratória sobre a pesca do mesmo, o desenvolvimento de fazendas de reprodução artificial etc.
 
Além desse impacto ambiental, em relação ao peixe esturjão e outros de sua fauna marinha (certamente pelas mesmas consequências), com base em levantamentos realizados desde 1996, pesquisadores apontam que as mudanças climáticas - direta e/ou indiretamente - irão afetar negativamente a dinâmica do Mar Cáspio. De acordo com um artigo publicado na Geophysical Research Letters e citado no Gizmodo Brasil:
 
“Com o contínuo aquecimento do hemisfério norte,
pode-se esperar que os níveis de evaporação anual
do Mar Cáspio continuem a crescer no futuro”.
 
Independentemente, desses problemas ambientais no Mar Cáspio (poluição das águas, riscos de extinção de espécies da fauna marinha, redução do nível de água, efeitos do aquecimento global, entre outros fatores), hoje, o que está mobilizando efetivamente a política entre os cinco países que o circundam (Rússia, Azerbaijão, Cazaquistão, Turcomenistão e o Irã) e que se encontra por detrás desse impasse acerca se o Cáspio é, verdadeiramente, um mar ou um lago, é o interesse econômico sobre as vastas reservas de petróleo e gás natural de sua bacia sedimentar, na intenção de delimitar as respectivas áreas de extração/exploração econômica a cada país envolvido.
 
A definição efetiva do Cáspio e em conformidade geral, quer seja como mar quer seja como lago, implicará em diferentes normas de exploração dos recursos energéticos em questão entre os referidos países, acima citados.
 
Se o Cáspio permanecer com o seu atual status de mar, caberá a cada país envolvido – de acordo com o Direito Internacional Marítimo (já existente) – a exploração econômica em sua respectiva faixa litorânea.
 
Se o mesmo for redefinido como um lago será necessário firmar um acordo, entre os cinco países citados, a fim de estabelecer normas de navegação e exploração dos recursos de forma compactuada.
 
Em relação a esse impasse, dentre os cinco países ligados diretamente ao mar Cáspio, o Irã sempre defendeu a sua classificação lacustre (lago), o que possibilitaria firmar uma partilha igualitária da exploração dos combustíveis fósseis de sua bacia sedimentar.
 
No entanto, tanto o seu posicionamento quanto a sua política diverge dos demais países, assim como é mostra conflituosa.
 
Em 2001, o país se posicionou adverso à atuação de grandes multinacionais de petróleo em áreas de seu interesse, tal como ocorreu no caso da companhia inglesa British Petroleum, que não pode terminar os seus trabalhos de exploração no campo de Araz-Sharg-Alov (próximo à costa litorânea do Azerbaijão), cuja área era reivindicada por ambos, os países. A partir deste episódio, o governo iraniano se dispôs contrário a qualquer projeto de desenvolvimento neste setor.
 
Recentemente, em dezembro do 2017, o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do Irã, Bahram Qasse-mi, ratificou que o emprego das leis marítimas convencionais não constava da agenda de seu país, o que significa que o governo iraniano rejeita o status de mar ao Cáspio.
 
E ainda, o mesmo cogitou a possibilidade de não haver um acordo este ano, tal como está previsto, em razão dos intensos desentendimentos entre os países envolvidos nesta perspectiva da demarcação das respectivas áreas de exploração econômica. Contrariando as declarações do Chanceler russo, Sergey Lavrov, proferidas no início de dezembro do ano passado, quando este afirmou que as divergências que existiam entre os cinco países envolvidos na disputa haviam sido remediadas e que todos estariam predispostos a assinar um acordo de delimitação de suas respectivas áreas de exploração.
 
Sendo assim e rejeitando esse acordo final, o Irã permanece isolado politicamente e, ao mesmo tempo, sofrendo constantes pressões econômicas para mudar o seu posicionamento em relação a este.
 
Tal como fora anunciado, o referido acordo está previsto para ser assinado no primeiro semestre deste ano (2018), durante a 5ª Conferência do Cáspio, a ser realizada no Cazaquistão. A data definitiva da Conferência ainda não confirmada.
 
Caso, o Irã não ceda às pressões e permaneça firme em sua posição contraditória, o país corre sério risco de ficar de fora dos planos e projetos futuros voltados à exploração das reservas de combustíveis fósseis na região da bacia do Cáspio. Vamos aguardar para ver o desenrolar desta polêmica...
 
 
Fontes de Pesquisa
 
. Biomania
 
 
 
 
. Wikipédia (várias edições)

 

domingo, 7 de janeiro de 2018

Mês de Janeiro: Datas Comemorativas


 09/01: Dia do Astronauta

Imagem capturada na Internet
Fonte: Pixabay

 

JANEIRO

1º. Confraternização Universal
       Dia Mundial da Paz
 
02. Dia da Abreugrafia
 
03. Dia Nacional do Juiz de Menores
 
04. Dia do Hemofílico
        Dia Mundial do Braille
 
05. Criação da 1ª Tipografia no Brasil
 
06. Dia de Reis
        Dia da Gratidão
 
07. Dia da Liberdade de Cultos
       Dia do Leitor
 
08. Dia do Fotógrafo
        Dia Nacional da Cultura
 
09. Dia do Fico (1822)
       Dia do Astronauta
 
11. Dia Internacional do Obrigado
       Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos
 
12. Dia do Empresário de Contabilidade
 
13. Dia do Internacional Leonismo
 
14. Dia do Enfermo
       Dia do Lavador de Carros
       Dia do Treinador de Futebol
 
15. Dia Mundial do Compositor
       Dia dos Adultos

16. Dia dos Cortadores de Cana-de-Açúcar

 
17. Dia dos Tribunais de Contas do Brasil

18. Dia Internacional do Riso

19. Dia do Terapeuta Ocupacional

20. Dia do Farmacêutico
        Dia de São Sebastião

21. Dia Mundial da Religião
       Dia do Surfista

22. Dia da Fundação de São Vicente (primeira vila brasileira, em 1532)

23. Dia Internacional da Medicina Integrativa

24. Dia da Previdência Social
        Dia do Aposentado
        Dia da Constituição
        Dia da Instituição do Casamento Civil no Brasil
 
25. Dia da Fundação de São Paulo
       Dia do Carteiro
       Dia da Criação dos Correios
       Dia dos Telégrafos no Brasil 
 
26. Dia da Gula
 
27. Dia da Elevação do Brasil Vice-Reinado (1763)
       Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto
       Dia do Orador
 
28. Dia da Abertura dos Portos (1808)
        Dia do Portuário
 
29. Dia do Jornalista
 
30. Dia da Saudade
        Dia da Não-Violência
        Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos
 
31. Dia Mundial do Mágico
       Dia do Hanseniano
       Dia da Solidariedade

Ano Novo (2018): Expectativas de Dias Melhores

Imagem capturada na Internet
Fonte: Pixabay


Ano Novo... Expectativa de grandes decisões e novos rumos, capazes de melhorar nossas vidas. Não passei o Réveillon no Rio de Janeiro e, por isso, não tive acesso ao Blog, ficando assim, mais uma vez, em falta nesse espaço. Mas, estou voltando...
 
O que mais me impressiona neste período da virada do ano é a magia que o envolve e, mais ainda, que essa magia é igual em todos os lugares. Mesmo com certa diferença, ela ocorre!
 
O ano de 2017 pode ter sido muito difícil para muitas pessoas (e foi, sobretudo, para os servidores estaduais do Rio de Janeiro, entre outros aspectos), mas a chegada de 2018 nos encheu de esperanças em dias melhores, em um Novo Ano melhor!!
 
A energia e a alegria do povo nos envolvem de uma tal maneira que, por mais pessimista que sejamos, a vibração positiva que emana de cada um faz com os nossos pensamentos e atitudes se convertam a uma só direção, na crença de um mundo melhor, de pessoas e oportunidades melhores em 2018.
 
De acordo com a Astrologia, o Planeta regente de 2018 é Júpiter, o maior planeta do sistema Solar. Ano que vai ser marcado por conquistas e mudanças, em todos os campos de abrangência. Ano de expansão do comércio (interno e externo), de projetos pessoais ou não, mudanças de leis etc. Período propício a assuntos ligados à Educação e ao desenvolvimento intelectual.
 
No Horóscopo Chinês, esse é o ano do Cão (elemento Terra).  De acordo com as mídias, 2018 vai ser um ano em que a solidariedade, o diálogo e a busca pela igualdade vão ser enfatizadas e valorizadas.
 
O Cão ou Cachorro, no horóscopo Chinês, promove a tolerância e a empatia a fim de impedir conflitos entre as pessoas. Daí pensamentos e ações egocêntricas (individualistas) deverão ser rejeitadas pela maioria em face a outros valores humanos, universais e de justiça social. Trazendo e movendo-se sob grande sensibilidade e de conscientização.
 
Na Umbanda, o ano de 2018 terá como Orixá regente, Xangô, o Orixá da Justiça, o qual terá – a partir do mês de junho – a companhia de Iansã. Sob as influências de ambos, nesse ano, procurar-se-á mais por justiça, a união dos povos e por uma limpeza espiritual.
 
Na verdade, não importa a religião ou a crença de cada um, pois as energias vibratórias só terão efeitos positivos sobre nós e aos outros se estivermos abertos a isso, se plantamos sementes do bem ou se estamos sujeitos a mudanças nesse sentido. É preciso estar disposto a fazer a sua parte e a iniciar mudanças, mesmo que gradualmente, a passos lentos. Tanto a nível de atitudes quanto a nível de pensamentos.
 
Feliz 2018 para todos!

 

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Poesia de Cordel sobre o Natal


Imagem capturada na Internet


Poesia de Cordel sobre o Natal
Bráulio Bessa

 
"Que você nesse Natal entenda o real sentido da data que veio ao mundo um homem bom, destemido, e que o dono da festa não possa ser esquecido.

Olhe, repare, vindo lá do polo norte num trenó cheio de luz, papai noel é lembrado muito mais do que JESUS.

Oh balança incoerente, onde um saco de presente pesa mais do que uma cruz.

Eu sei, eu sei que da presente é bom, mas bom mesmo ser presente, ser amigo, ser parceiro, ser o abraço mais quente, e permitir que nossos olhos não enxerguem só a gente.

Que você nesse momento faça uma reflexão, independente de crença, de fé, de religião, pratique o BEM sem parar, pois não adianta orar sem existir ação.

ALIMENTE um faminto que vive no meio da rua,

AGASALHE um indigente coberto só pela lua.

Sua parte é ajudar, e o mundo pode mudar, cada um fazendo a sua.

ABRACE um desconhecido,

PERDOE quem lhe feriu,

se ESFORCE pra reerguer um amigo que caiu e tente dar ESPERANÇA para alguém que desistiu.

Convença quem esta triste que vale a pena SORRIR,

ACONSELHE quem parou que ainda da pra seguir e pra aquele que errou da tempo de CORRIGIR.

Faça o bem meu povo, FAÇA O BEM POR QUALQUER UM, sem perguntar o porque, parece fora de moda, soa meio que clichê, mas quando se ajuda alguém o ajudado é você.

Que você possa ser bom começando de janeiro, e que esse sentimento seja firme e verdadeiro, que a gente viva o NATAL todo ano, o ano inteiro."

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Final do Ano Letivo 2017

Imagem capturada na Internet


Todo final de ano letivo, tanto para os alunos quanto para os professores significa um período bastante conturbado, pois o que está em “jogo” é o futuro do discente em termos de aprovação ou reprovação.
 
Recuperação, Segunda Época, Aulas de Reforço, Provas Finais... Tudo mexe com a tranquilidade emocional.
 
Por isso é que eu aconselho ao aluno, sempre, a se empenhar nos estudos desde o 1° Bimestre, a fim de assegurar notas boas no ano todo, capaz de garantir maior alívio no final do curso.
 
Da turma de alunos que não pensou desse jeito e que, por diferentes motivos, não alcançou uma média final suficiente à aprovação direta, a Recuperação e/ou a Segunda Época representam períodos de grandes lamentações, de solicitações de pontos extras ao professor e de medo mediante as ameaças proferidas por alguns responsáveis. Traduzindo ainda, para alguns, o aumento de sua fé religiosa, com promessas e mais promessas a um Santo específico, à Mãe ou à Divindade Maior, Deus. E, por que não, a toda a falange espiritual, como garantia de milagre efetivo.
 
A vida escolar do aluno está por um triz, ou seja, perto de cair de vez (reprovação) ou de escapar por seu empenho descomunal (aprovação).
 
Este ano, eu ouvi de tudo... Professora,

... se eu precisar de 0,5 ponto, a senhora dá?

... a prova pode ser com consulta?

... não dá para passar um trabalho só para ajudar?

... minha mãe vai me matar se eu não passar!

... se eu não aparecer, a senhora já sabe que minha mãe me matou.

... bagulho bom, parar de estudar! (comentário de um aluno do 9° Ano mediante a intervenção da colega que disse que o seu pai havia perguntado se ela queria parar de estudar).
 
Pode parecer engraçado e até se torna assim, pois não foi por falta de conselho e/ou de inúmeras advertências minhas durante o ano inteiro. Mas, de fato a situação é séria por demais.
 
Em ambas as Unidades Escolares que trabalho, os resultados já foram lançados nos respectivos sistemas online. Para alguns, eles se traduzem em alegrias por conta do empenho e esforço em superar a situação configurada durante o ano todo e, para outros, o insucesso escolar, confirmado por uma nota abaixo da média exigida para aprovação. Infelizmente, muitos alunos se mostram imaturos, precisando de maior compromisso e dedicação ao seu próprio processo educativo.
 
A nós, professores, nos resta apenas assinar embaixo do resultado que o mesmo admitiu para ele.
 

sábado, 16 de dezembro de 2017

II Campanha da Solidariedade da E.M. Dilermando Cruz

Logotipo da Campanha da Solidariedade da
E.M. Dilermando Cruz (Desenho de Kalina Matias)


Alguns alunos da E.M. Dilermando Cruz (Ensino Fundamental da rede municipal) me perguntaram – quando viram a postagem sobre a entrega de donativos com os alunos do Ensino Médio (rede estadual) – porque não houve Campanha da Solidariedade na escola, neste final de ano.
 
Realmente, foi um erro meu, e dos alunos da Turma 1701, não ter mencionado nada a respeito. Devido ao fato da entrega da I Campanha da Solidariedade de 2017 ter sido muito tardia, a segunda edição ficou prejudicada pelo período curto de tempo. Corríamos o risco de não obtermos sucesso nas  arrecadações. Em razão disso, em reunião com os alunos da Turma 1701, discutimos e decidimos suspender a Campanha do final do ano. Infelizmente...
 
E, tal como falei na postagem anterior, para o próximo ano faremos tudo mais organizado, inclusive, porque iremos realizar o Dia de Ação Social na escola.

 Alunos da Turma 1701
Responsável pela Campanha da Solidariedade
da E.M. Dilermando Cruz

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Turma 1008: Entrega dos Donativos da Campanha da Solidariedade II


  Da esquerda para direita, Anderson Israel dos Santos,
Tamires Costa Carvalho, Giovanna e Alexandre Felipe de Souza 


Nesta última 5ª feira (14/12), eu e três alunos da Turma 1008 fomos fazer a entrega dos donativos à outra Instituição beneficiada com a Campanha da Solidariedade do C. E. Prof.ª Sonia Regina Scudese, o Centro Terapêutico Maria Margarida (Brás de Pina, Rio de Janeiro).
 
Junto foi a minha irmã, Sueli Vieira de Oliveira, professora aposentada da rede municipal de ensino, que muito contribui com essas empreitadas.
 
Além dos donativos em gêneros alimentícios e de higiene, levamos material educativo, como lápis cera, massinha de modelar, livro de pintar e um brinquedo de armar, pois – diferentemente da Casa de Apoio à Criança com Câncer – São Vicente de Paulo (outra Instituição que a referida Campanha atende) – o  Centro Terapêutico Maria Margarida se encontra voltado ao atendimento de crianças e jovens portadores de algum comprometimento mental, como por exemplo, autismo, síndrome de Down e paralisia cerebral.
 
Quem nos atendeu foi a Professora  e Psicopedagoga Denise Nonato do Nascimento, responsável pela Instituição, que nos mostrou o espaço e as atividades que ali são desenvolvidas. Não restam dúvidas que o trabalho deles junto com as crianças e jovens é algo surpreendente e, ao mesmo tempo, gratificante a partir dos resultados positivos obtidos.
 
Tivemos a sorte de encontrar uma paciente, a Giovanna (Síndrome de Down), de 17 anos, que estava sendo atendida pela Psicopedagoga Solange Maciel, responsável também pelas áreas de Arteterapia e de pintura em tela.
 
Tempos atrás, eu tive a oportunidade de ver algumas telas pintadas pelos pacientes deste Centro Terapêutico e fiquei admirada pelas obras em si, pelos talentos e dedicação. A habilidade artística bem acentuada e estimulada entre eles me chamou muito a atenção. E, desta vez, conseguimos ver algumas telas expostas, inclusive, a de autoria da Giovanna. Brilhante!
 
Na hora de irmos embora chegaram mais dois pacientes, o Gabriel (14 anos) acompanhado por seu pai e outra aluna (não me recordo bem o nome) que veio com sua mãe.
 
O dia começou muito bem! Conhecemos a Instituição, tivemos contato com pacientes que são atendidos pela casa e entregamos os donativos arrecadados durante a Campanha da Solidariedade.
 
Embora, o quantitativo arrecadado para as duas Instituições beneficiadas (Casa de Apoio à Criança com Câncer – São Vicente de Paulo e Centro Terapêutico Maria Margarida) não tenha sido muito, por ser a primeira experiência com os alunos do Ensino Médio e da forma como foi (com algumas falhas), o pouco que conseguimos foi capaz de fazer a diferença e atender em parte a ambas. Assim como, parcialmente, atendeu as nossas expectativas.
 

Foram entregues: 05 Kg de Arroz; 07 Kg de Feijão; 06 Kg de Açúcar; 01 Kg de Farinha de Trigo; 04 Kg de Espaguete; 02 Pacotes de Massas; 01 Frasco de Óleo de Soja; 01 Lata de Milho em conserva; 01 Lata de Leite em pó Integral (400 gr.); 23 Unidades de Gelatina em pó (35 gr.); 03 Caixas de Creme Dental (70 gr.); 03 Sabonetes e 01 Detergente líquido. 
 

O mais gratificante é, sem dúvida nenhuma, estar junto às crianças e jovens. Essa troca e relacionamento faz muito bem aos nossos corações (acredito de ambas as partes).
 
Ano que vem, 2018, as Campanhas semestrais serão mais organizadas. Já conversamos previamente sobre isso, assim como na outra escola da rede municipal.

Donativos arrecadados durante a Campanha,
os quais foram divididos para as duas
Instituições



Donativos (material educativo)

Da esquerda para direita, os alunos Alexandre,
Anderson e Tamires
 
A paciente Giovanna e a Psicopedagoga Solange Maciel

Telas de outros pacientes
 
 
Giovanna e a sua tela





Da esquerda para direita, os alunos Tamires, Anderson e Alexandre,
minha irmã Sueli Vieira, uma paciente, a fisioterapêutica Luimar
e a Professora  e Psicopedagoga Denise Nonato do Nascimento