domingo, 6 de maio de 2018

06 de Maio: Dia do Cartógrafo

 Engenheiro Cartógrafo ou Cartógrafo
Imagem capturada na Internet
Fonte: MundoGeo

Neste mês de maio temos várias datas comemorativas associadas a áreas do conhecimento voltados para o estudo da Geografia. Além de termos o Dia do Geógrafo (formado em Bacharelado/pesquisador), no dia 29, temos o Dia do Geólogo (30) e o Dia do Cartógrafo, comemorado hoje (06).
 
E é justamente sobre essa área – Cartografia – que quero focar, hoje. Pra quem não sabe, a Cartografia é uma ciência muito importante para a Geografia, servindo muito mais de que uma simples ferramenta ao seu estudo no intuito de fornecer mapas, cartas topográficas e outros recursos cartográficos.
 
“A Geografia trabalha com imagens, recorre a diferentes linguagens
na busca de informações e como forma de expressar
suas interpretações, hipóteses e conceitos.
Pede uma cartografia conceitual,
apoiada numa fusão de múltiplos tempos
e numa linguagem específica,
que faça da localização e da espacialização
uma referência da leitura das paisagens e seus movimentos.”
(PCNs - MEC, 1998/pag. 33)
 
Os produtos cartográficos, além de sintetizarem informações e expressarem conhecimentos, reproduzem situações temporais (transitórias) envolvendo a produção do espaço geográfico, bem como a sua dinâmica natural, no caso de seu caráter específico (temático).
 
"Situações Temporais"
Correção do mapa-múndi com as mudanças de fronteiras
(década de 90 - Século XX)
Imagem capturada na Internet
(Fonte: Física Fácil
 
Quando se fala em documento ou recurso cartográfico, a referência se dá a qualquer documento ou recurso expresso em linguagem cartográfica.
 
De acordo com a definição de Bakker (1965), a Cartografia é

Ciência e arte que expressa, graficamente,
o conhecimento da superfície terrestre
por meio de mapas e cartas geográficas.”

É claro que essa definição deixa implícito as atividades do cartógrafo ou engenheiro cartográfico, as quais perpassam etapas de coleta, preparação e organização de dados, elaboração e interpretação, sobretudo, de mapas ou cartas geográficas.
 
Não devemos esquecer, também, que a Cartografia – ao longo do tempo - sofreu diferentes transformações em razão da evolução técnico-científica, tanto a nível de técnica de informação quanto a nível de concepção (visão do espaço).
 
Segundo o Centro de Divulgação e Estudos Cartográficos (CDECart) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que foi a primeira no país a oferecer o curso de Engenharia Cartográfica (1965), as principais funções de um engenheiro cartógrafo são:   

1. Planejamento: Definição dos dados a serem coletados e dos recursos e métodos necessários para se atingir os objetivos do mapeamento; 
 
2. Coleta de Dados: Levantamentos geodésicos (posicionamento preciso da região a ser mapeada), topográficos (detalhamento e apoio de campo), batimétricos (determinação do relevo submerso), fotogramétricos (utilização de fotos terrestres, aéreas e espaciais) e por sensoriamento remoto (emprego de dados e imagens obtidas através de sensores); 
 
3. Processamento e Interpretação de Dados: Realização de cálculos matemáticos, modelagem numérica, restituição analógica ou digital, classificação de dados multiespectrais; interpretação de fotos e imagens; modelagem de dados geográficos; 
 
4. Representação e Reprodução Cartográfica: Representar nas formas visuais/analógicas ou digitais as informações geográficas, a partir dos dados coletados; 
 
5. Análise de Informação: Integrar equipes interdisciplinares em processos de: análise ambiental; apoio ao processo de tomada de decisão em planejamento urbano e rural; gerenciamento dos recursos, bens e serviços de forma racional, eficiente e transparente.

Imagem capturada na Internet

sábado, 5 de maio de 2018

Mês de Maio: Datas Comemorativas

Dia 17 de Maio 
Dia Internacional contra a Homofobia
Imagem capturada na Internet
Fonte: PET COM

MAIO

1º. Dia Mundial do Trabalho
    Dia da Literatura Brasileira
 
02. Dia Nacional do Ex-Combatente
 
03. Dia do Sertanejo
        Dia Mundial da Liberdade de Imprensa
        Dia Mundial do Sol
        Dia do Taquígrafo 
 
04. Dia do Futebol
 
05. Dia de Rondon
        Dia da Comunidade
        Dia Nacional do Expedicionário
        Dia do Pintor
        Dia Nacional das Comunicações Sociais
 
06. Dia do Cartógrafo
 
07. Dia do Oftalmologista
        Dia do Silêncio
 
08. Dia da Vitória (fim da II Guerra Mundial - 1945)
        Dia do Profissional Marketing
        Dia do Artista Plástico
        Dia Internacional da Cruz Vermelha
 
09. Dia da Europa
        Dia da União Europeia
 
10. Dia da Cavalaria
       Dia do Campo
       Dia do Cozinheiro
       Dia do Guia de Turismo
 
11. Dia da Integração do Telégrafo no Brasil
       Dia do Barbeiro
 
12. Dia Mundial do Enfermeiro
       Dia da Enfermagem
 
13. Dia das Mães (2º Domingo de Maio) 
       Dia da Abolição da Escravatura
       Dia da Fraternidade Brasileira
       Dia do Automóvel
       Dia do Zootecnista
 
14. Dia Continental do Seguro
 
15. Dia de Professor Aposentado
       Dia do Assistente Social
       Dia do Combate à Infecção Hospitalar
       Dia do Gerente Bancário
 
16. Dia do Gari
 
17. Dia Internacional da Comunicação e Telecomunicações
       Dia da Constituição
       Dia Internacional da Internet
       Dia Internacional contra a Homofobia
 
18. Dia dos Vidreiros
       Dia Internacional dos Museus
       Dia das Girafas
       Dia da Boa Vontade
       Dia das Raças Indígenas da América
       Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e
       à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
 
19. Dia dos Acadêmicos do Direito
       Dia da Ilegalidade do Tráfico de Escravos (1830)
 
20. Dia do Comissário de Menores
 
21. Dia da Língua Nacional
 
22. Dia do Apicultor
        Dia Internacional da Biodiversidade
        Dia do Abraço
 
23. Dia da Juventude Constitucionalista
 
24. Dia da Infantaria
        Dia do Café
        Dia do Datilógrafo/Dia do Digitador
        Dia do Detento
        Dia do Telegrafista
        Dia do Vestibulando
        Dia Nacional do Milho
 
25. Dia da Indústria
       Dia do Massagista
       Dia do Trabalhador Rural
       Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte
       Dia Nacional da Adoção
       Dia do Orgulho Nerd
       Dia do Costureiro
 
26. Dia do Revendedor Lotérico
 
27. Dia do Profissional Liberal
       Dia Mundial dos Meios de Comunicação
       Dia do Serviço de Saúde
       Dia Nacional da Mata Atlântica
 
28. Dia do Hambúrguer
        Dia Nacional de Luta pela Redução da Mortalidade Materna
        Dia do Ceramista
        Dia da Recordação
 
29. Dia do Geógrafo
       Dia da Gentileza
       Dia do Estatístico
       Dia Mundial da Energia
 
30. Dia da Decoração/Dia do Decorador
       Dia do Geólogo
       Dia das Bandeiras
 
31. Corpus Christi
      Dia do Comissário de Bordo e da Aeromoça
      Dia Mundial das Comunicações Sociais
      Dia do Espírito Santo
      Dia Mundial Sem Tabaco

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Texto Dirigido: Lei Maria da Penha


Hoje, 30 de abril, além de festejarmos o Dia da Baixada Fluminense (ou Dia da Baixada), comemoramos o Dia Nacional da Mulher, além de outros temas importantes do calendário do mês de abril.
 
Para não ser repetitiva, indico que as pessoas que tenham interesse em ler as postagens referentes a esses dois temas, busque-os neste próprio espaço (Busca no “Pesquisar neste Blog).
 
Como estou trabalhando o Texto Lei Maria da Penha com as minhas 10 turmas, sendo 04 (quatro) do Ensino Fundamental e 06 (seis) do Ensino Médio, o qual terá prosseguimento com Atividade Dirigida e Produção Textual, estou disponibilizando o mesmo, já com texto modificado e atualizado, bem como a introdução de imagens para efeito ilustrativo só no Blog.

Vejamos...


  Maria da Penha Maia Fernandes
Imagem capturada na Internet
 

LEI MARIA DA PENHA
 
Em agosto deste ano (2018), a Lei de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Lei nº 11.340) completará 12 anos de existência e, embora, dados oficiais constatem uma redução dos registros de violência contra às mulheres no Brasil, os números continuam elevados em nosso país.
 
Estes, na verdade, devem ser bem maiores, uma vez que muitas mulheres preferem não denunciar e sofrem silenciosamente as agressões. Os motivos são diversos, podendo ser por temor de seus agressores, por medo das falhas do sistema de Justiça e de segurança na assistência às mulheres, vítimas da violência doméstica, por não trabalhar e depender financeiramente do agressor (no caso de seu companheiro ou cônjuge), por causa dos filhos a fim de não desestruturar a unidade familiar e o lado emocional destes, entre outras razões.
 
Conhecida mais popularmente como Lei Maria da Penha, esta foi sancionada pelo ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 7 de agosto de 2006, visando coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Ela assegura a criação dos Juizados e Varas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher para julgar os casos e estabelecer medidas de assistência e proteção às vítimas.
 
O foco da Lei Maria da Penha é tratar os casos de violência cometidos por uma pessoa (agressor) que tenha ou que teve alguma relação ou afinidade com a vítima, seja este o cônjuge, o ex-marido ou o ex-companheiro, o filho, o pai, o namorado, noivo, entre outros. Daí ela ser específica para a questão da violência doméstica e familiar. Não importa o sexo do agressor (masculino ou feminino), a vítima tem que ser sempre a mulher.
 
O governo brasileiro só criou a referida Lei após sofrer grande constrangimento internacional em razão do caso da biofarmacêutica, cearense, Maria da Penha Maia Fernandes, que sofreu dois atentados contra a sua vida, ambos em 1983, cometidos pelo seu próprio esposo, o professor universitário Marco Antônio Heredia Viveros (colombiano), que conseguiu escapar da prisão nas duas ocasiões. 
 
Marco Antônio Heredia Viveros e filhas
Imagem capturada na Internet
Fonte: Paulopes
  
Na primeira vez, ele simulou um assalto a sua casa e, com uma arma, atirou nela que dormia de bruços. Maria da Penha sobreviveu, mas ficou paraplégica, presa a uma cadeira de rodas, sem saber que havia sido o próprio marido que atirou. Na segunda vez, ele tentou eletrocutá-la durante o banho. Ela só não morreu, porque se agarrou à parede do boxe e sua faxineira correu para ajudá-la. Na época, Maria da Penha tinha 38 anos e três filhas menores, com idades entre 2 e 6 anos. Após essa tentativa de homicídio, ela se separou do marido e, sob a proteção de uma ordem judicial, conseguiu sair de casa, sem que fosse dado abandono do lar e a perda da guarda das filhas.
 
A partir disso, Maria da Penha iniciou uma luta pela condenação do seu ex-marido, conseguindo que ele fosse preso em 1991, oito anos depois do crime. No entanto, ele conseguiu liberdade.

  Livro escrito pela biofarmacêutica Maria da Penha
Imagem capturada na Internet
 
 
Inconformada, em 1994, ela resolveu contar sua história em um livro (Sobrevivi… posso contar) e o seu caso foi levado ao Centro pela Justiça e o Direito Internacional (CEJIL) e ao Comitê Latino-Americano do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (CLADEM), que juntos encaminharam, em 1998, uma petição contra o governo brasileiro à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA).
 
Esta Comissão, por sua vez, em 2001, responsabilizou o governo do Brasil por negligência, omissão e tolerância em relação à violência doméstica contra as mulheres, divulgando a situação a nível mundial.
 
Movido por esta pressão e humilhação a nível internacional, o governo brasileiro decidiu pela elaboração do texto e a promulgação da referida Lei, em questão.
 
A segunda condenação do ex-marido da Maria da Penha ocorreu em outubro de 2002, o qual cumpriu dois anos de prisão.
 
Foi sob esse contexto que a Lei de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher foi criada...
 
Hoje, Maria da Penha Maia atua em movimentos sociais contra violência e impunidade acometidas contra às mulheres vítimas, ministra palestras, além de coordenar estudos, pesquisas e publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência (APAVV) no seu estado (Ceará).
 
Considerada como violação dos direitos humanos, a violência doméstica e familiar compreende qualquer ação ou omissão contra a mulher que possa lhe causar morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico, dano moral ou patrimonial, quer seja no âmbito da:
 
- Unidade doméstica (espaço de convívio permanente de pessoas, com ou sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente agregadas);
 
- Família (comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, sejam unidos por laços naturais ou por afinidade ou, ainda, por vontade expressa);
 
- Em qualquer relação íntima de afeto, na qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida, independentemente de coabitação.
 
A referida Lei, em seu Artigo 7º, estabelece as seguintes formas de violência doméstica e familiar contra a mulher:
 
I. Violência Física (conduta que ofenda sua integridade ou saúde corporal);
 
II. Violência Psicológica (conduta que lhe cause dano emocional, a diminuição da autoestima, que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação);
 
III. Violência Sexual (conduta que a constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade, que a impeça de usar qualquer método contraceptivo ou que a force ao matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição, mediante coação, chantagem, suborno ou manipulação; ou que limite ou anule o exercício de seus direitos sexuais e reprodutivos);
 
IV. Violência Patrimonial (conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades);
 
V. Violência Moral (conduta que configure calúnia, difamação ou injúria) 

Fontes de Consulta:

 
. Material didático particular
 
. Lei Maria da Penha – Radiobrás/ Agência Brasil
 
. Nas favelas, mulheres sofrem silenciosamente violência doméstica
 
. Quem é Maria da Penha Maia Fernandes? - Compromisso e Atitude

 

domingo, 22 de abril de 2018

22 de Abril: Dia do Planeta Terra


 Planeta Terra
Imagem capturada na Internet


Hoje, além de ser uma data comemorativa ao “Descobrimento” do Brasil pelos portugueses (com mérito atribuído à Pedro Álvares Cabral), ocorrido há 518 anos, festejamos o Dia do Planeta Terra.
 
Sem dúvida alguma, o contexto e o legado do processo histórico de exploração e de ocupação de nossas terras desenrolados à partir da chegada dos portugueses em nossas terras têm importância e influência no país que se formou, o nosso Brasil de hoje.
 
No entanto, não temos nada a comemorar acerca dos resultados e da nossa dura realidade. E, se alguns pensam que mudanças estão para acontecer, não querendo ser muito pessimista, mas eu não acredito, pois o próprio sistema acaba desestruturando e/ou aniquilando qualquer tentativa nessa direção.
 
Já com relação ao Dia da Terra... Há muito a discutir, refletir e agir! Antes tarde do que nunca!
 
 Imagens capturadas de diversas fontes na Internet (Google)
 
















 

 
O Sal da Terra
                                     Beto Guedes
 
Anda!
Quero te dizer nenhum segredo
Falo desse chão, da nossa casa
Vem que tá na hora de arrumar
 
Tempo!
Quero viver mais duzentos anos
Quero não ferir meu semelhante
Nem por isso quero me ferir
 
Vamos precisar de todo mundo
Pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado
E quem não é tolo pode ver
 
A paz na Terra, amor
O pé na terra
A paz na Terra, amor
O sal da
 
Terra!
És o mais bonito dos planetas
Tão te maltratando por dinheiro
Tu que és a nave nossa irmã
Canta!
Leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com seus frutos
Tu que és do homem, a maçã
Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois
 
Deixa nascer, o amor
Deixa fluir, o amor
Deixa crescer, o amor
Deixa viver, o amor
O sal da terra

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Ação Ofensiva dos EUA e Aliados em Resposta ao Uso de Armas Químicas na Síria

Imagens capturadas na Internet
Fonte: G1
 
Na noite da sexta-feira passada, dia 13 de abril, o mundo assistiu perplexo os ataques aéreos na Síria, ordenados pelo presidente dos EUA, Donald Trump, com apoio e em conjunto com a França e o Reino Unido.
 
Essas ações foram em represália ao uso de armas químicas que a população foi submetida pelo regime do ditador e presidente, Bashar al-Assad, no dia 07/04 (sábado), em um dos últimos redutos rebeldes do país, a cidade de Duma, próximo à capital (Damasco), o que acarretou dezenas vítimas fatais e centenas de feridos. E entre as vítimas, muitas crianças...
 

 
Crianças vítimas do ataque químico na Síria
 Imagens capturadas na Internet
Fonte: Veja
 
Por sua vez, o regime do ditador sírio, Bashar al-Assad, que tem como principal aliado a Rússia, negou os ataques com armas químicas. Só que esta não é a primeira vez que o referido governo é acusado de fazer uso de armas químicas contra a população síria, que são proibidas por convenções da Organização das Nações Unidas (ONU).
 
De acordo com o que foi noticiado as suspeitas pairam no uso de gás cloro e também, simultaneamente, do Sarin. Ao todo foram 84 mortos e 546 feridos neste ataque químico no país.

Os especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), responsáveis pelas investigações, que estão na Síria desde o dia 17/04, acreditam que as provas do uso de ambos podem ter sidos eliminadas, seja pelas tropas sírias seja pela polícia militar russa ou por ambas.
 
A ofensiva dos EUA e de seus aliados (França e Reino Unido) tiveram por objetivo atingir três alvos no país: um centro de pesquisa científica, localizado na capital do país (Damasco); uma instalação de armas químicas, em Homs, onde presumia-se haver o armazenamento de gás Sarin e outro estabelecimento na mesma localidade, voltado para o mesmo fim e que, também, possuía um posto de comando da Guarda Revolucionária da Síria.
 
O governo da Rússia, que é um aliado declarado do governo sírio e que não foi notificado pelos governos de Donald Trump (EUA), Emmanuel Macron (França) e nem por Theresa May (Reino Unido) sobre a decisão dos bombardeios, advertiu sobre as consequências desta ofensiva do chamado “Ocidente”. De acordo com Anatoly Antonov, embaixador russo em Washington:
 
‘Os piores presságios foram cumpridos, eles não escutaram nossas advertências e voltaram a nos ameaçar. Tínhamos advertido que estas ações não ficariam sem consequências. Toda a responsabilidade recai em Washington, Londres e Paris.’
 
A preocupação mundial também recai e se agrava nessa relação EUA X Rússia, sob os riscos de enfrentamentos diretos e/ou indiretos de ambas as partes sob os moldes do contexto da Guerra Fria (1947-1991), quando as tensões acirradas pairavam em um possível ataque com bomba atômica deflagrada pelos Estados Unidos ou pela antiga União Soviética (a Rússia era a maior e a mais importante república soviética).

 Charge
Imagem capturada na Internet

Sob essa conjuntura de uma crise diplomática entre os EUA e a Rússia, o chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, general Joseph Dunford, ressaltou que os ataques de 6ª feira passada (13/04) foram conduzidos com o máximo cuidado, justamente, para não cometer erros, evitando atingir, assim, tropas ou alvos russos, bem como provocar a morte de civis.
 
O presidente russo, Vladimir Putin, no entanto, afirmou que tais ações prejudicaram “seriamente” qualquer perspectiva de acordo político com a Síria, advertindo ainda, no caso de novos ataques do Ocidente, sobre os riscos iminentes de um ‘caos’ nas relações internacionais.
 
Já o presidente da Síria, Bashar al-Assad, em reunião com políticos russos, em Damasco, no último dia 15, além de classificar os ataques como uma violação do Direito Internacional, minimizou os efeitos destes, alegando que os mesmos vão “unir o país”. Além disso, Bashar al-Assad destacou que a Síria e a Rússia,
 
‘(...) não só estão em uma batalha contra o terrorismo, mas também para proteger a lei internacional baseada no respeito à soberania dos Estados e a vontade dos seus povos.’  
 
Fontes de Consulta
 
. EUA, Reino Unido e França lançam ataque contra a Síria em resposta a suposto uso de armas químicas - G1

. Jornal O GLOBO impresso (várias Edições)

. Síria confirma entrada da Opaq para investigar suposto ataque químico - EXAME
 
. Síria é criticada por suposto novo ataque químico - ISTOÉ