domingo, 5 de julho de 2009

4 de Julho: Dia da Independência dos Estados Unidos da América


Imagem capturada da Internet

Ontem, 4 de julho, foi um dia especial para a sociedade estadunidense, pois se comemorou a Independência dos EUA e, apesar de todos os problemas atuais, tanto os de âmbito interno quanto externo, o país tem motivos também para festejar.
 
E, neste sentido, não podemos ter dúvidas, pois se há um povo que tem orgulho de demonstrar o seu amor e respeito à pátria é o estadunidense.
 
Eu costumo, inclusive, chamar a atenção de alguns alunos, que fazem questão de menosprezar o Brasil, comparando-os com a postura da população dos EUA.

É claro que não podemos ignorar os inúmeros problemas que a sociedade brasileira passa - há anos sem ter tido solução - mediante a falta de uma política mais séria, justa e social, além dos diversos títulos depreciativos que o país coleciona, como por exemplo, país corrupto e país da impunidade...

Pena que muitos só conseguem demonstrar amor à pátria por ocasião de algum evento esportivo, seja um Campeonato como a Copa do Mundo, Jogos Olímpicos ou Pan Americanos etc.

Com os estadunidenses, pelo contrário, é bastante comum perceber o sentimento de amor ao país, inclusive, em termos de vestuário e acessórios com a bandeira dos EUA.
 


Imagens capturadas na Internet

Apesar da crise econômica, que ainda se prolonga, os conflitos "intermináveis" com o Iraque e o Afeganistão, as ameaças dos testes atômicos por parte da Coréia do Norte, o golpe militar em Honduras, país que teve a proteção dos EUA, entre outros problemas de vinculação externa e interna, a data comemorativa deve ser festejada.

Até mesmo porque, o novo presidente e o 44º da história do país - Barack Hussein Obama Jr. - representou e, ainda, representa uma grande esperança para o país e para o mundo face a posição dos EUA como uma grande potência mundial e, mais especificamente, por este ser um presidente negro em um país marcado, historicamente, pelas diferenças raciais, onde os conflitos entre brancos e negros tiveram suas raízes ao tipo de colonização implantada nas antigas colônias do Sul (colonização de exploração).
 
A sociedade escravocrata das antigas colônias do Sul contrastavam com a sociedade das colônias do Norte, visto que os objetivos da colonização destas última eram apenas ocupar as terras e promover desenvolvimento com o trabalho (colonização de povoamento).

A história do país é rica, marcada por desafios, conquistas, guerras, conflitos e, inclusive, de intervenções políticas e militares sob um discurso de viabilizar e promover a democracia em países sob regime autoritário.

Sua posição no cenário mundial divide opiniões. Mal ou bem visto, não podemos negar que a sua história se fez dentro e fora de sua área territorial, isto é, influenciou e tem influência no mundo, também. Não estou questionando, aqui, se esta sempre foi feita de forma positiva ou negativa; justa ou injusta.

Embora, os EUA tenham muitos motivos que justifiquem as preocupações constantes, as comemorações de ontem foram marcadas pela confraternização, pelo sentimento de amor e de patriotismo e de união de diferentes nacionalidades, que junto com a sociedade estadunidense fazem com que o país caminhe sempre (imigrantes legais e ilegais do mundo todo).
 
Em geral, eu costumo postar dados geográficos (sócio-econômicos) dos países tratados neste espaço, mas vou ficar devendo para a semana, pois estou sem muito tempo para escrever. Estamos em final de bimestre e os Conselhos de Classes das duas escolas serão nestas duas semanas e eu estou ainda corrigindo algumas atividades de recuperação

Podem esperar que, em breve, postarei mais informações acerca desta grande potência mundial.


Declaração da Independência dos Estados Unidos da América (EUA)
4 de julho de 1776


Caricatura dos 44 presidentes dos EUA (autoria de Patrick Moberg)

Barack Hussein Obama Jr - Atual presidente dos EUA

Um comentário:

Tamiris Neves *--* disse...

"E, neste sentido, não podemos ter dúvidas, pois se há um povo que tem orgulho de demonstrar o seu amor e respeito à pátria é o estadunidense."

É professora, realmente o povo dos EUA é um povo muito ligado a pátria, não só em comerações como a Copa do Mundo, Olimpiadas ou Pan-americanos. Eles tem orgulho da bandeira do país deles, e ao contrário de pessoas como o Brasil por exemplo, cantam um hino como obrigação ou então nem cantão, e muitas nem sabem cantar.
Em alguns pontos eu acho o EUA errado, como pela descriminação pela cor de algumas pessoas, mais esse é um dos pontos que eu gosto deles (: