sexta-feira, 3 de julho de 2009

República de Honduras


Imagem capturada da Internet


- Professora, eu nem sabia que existia este país...
 
Não foi apenas um, mas três alunos que – ao menos – tiveram coragem de afirmar o total desconhecimento quanto à existência de Honduras. E, com certeza, entre as turmas, não foram os únicos.
 
Comentei por alto acerca do “golpe de estado” em Honduras, ocorrido no último dia 28 de junho (domingo passado) e, apesar de alguns terem confirmado que assistiram as notícias na TV, a maioria se manteve em silêncio.
 
Antes mesmo de falar sobre a atual conjuntura política de Honduras, que deflagrou o golpe de estado por parte do Exército, o qual derrubou o presidente Manuel Zelaya, vou delinear um quadro geral de sua geografia e das principais características sócio-econômicas do país.
 
Considerado como um dos países mais pobres e menos desenvolvidos da América, a base de sua economia ainda é a agricultura (café e banana), assim como a exportação do camarão, empregando quase 2/3 da população economicamente ativa.
 
Ao tratarmos destas questões políticas atuais, não há como não retroceder no passado da América Latina, cujo processo histórico foi marcado por períodos de grande instabilidade política e econômica sob a vigência e não de didaturas militares.
 

Dados Geográficos e Sócio-Econômicos
 
. Nome Oficial: República de Honduras;
 
. Capital: Tegucigalpa;
 
. Localização Geográfica (continente): América (América Central continental);

. Limites:
 
Norte (Golfo das Honduras);
 
Sul (Nicaraguá, Golfo de Fonseca e El Salvador);
 
Leste (mar do Caribe);
 
Oeste (Guatemala).

. Área Territorial: 112.088 km²;

. Idioma oficial: Espanhol;
 
. Forma de Governo: República Presidencialista (o presidente é eleito pelo voto popular para mandato de 4 anos);

. Divisão político-administrativa: 1 Distrito Central (Tegucigalpa) e 18 Departamentos (Atlantida, Choluteca, Colon, Comayagua, Copan, Cortes, El Paraiso, Francisco Morazan, Gracias a Dios, Intibuca, Islas de la Bahia, La Paz, Lempira, Ocotepeque, Olancho, Santa Barbara, Valle e Yoro);

. Principais Cidades: Tegucigalpa, San Pedro Sula, La Ceiba, El Progreso e Choluteca;

. Religião: Cristianismo 100% (Católicos 92%; Protestantes e outros 8%);

. Nacionalidade: Hondurenha;

. População Absoluta: 7.246.016 habitantes (dados de 2008);

. Densidade Demográfica (População Relativa): 65 hab/Km² (2008);

. População urbana: 46% (2005);

. População rural: 54% (2005);

. Crescimento Demográfico: 1,6% ao ano (2006);

. Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,700 (115° - Intermediário: dados 2006/2008);

. Moeda: Lempira;

. Data Nacional: 15 de setembro (Independência);
 
. PIB: US$ 12,322 milhões (2007);

. PIB per capita: US$ 1,734 (2007);

. Parceiros comerciais: EUA, Guatemala, México, El Salvador, Alemanha, Nicarágua e Bélgica.


Curiosidades:

. Maias: Os povos maias ocupavam e dominaram a região que hoje constitui o país até os fins do século X. Há diversas ruínas da época e sua população ameríndia reflete a predominância da origem indígena.
 
As ruínas da cidade maia de Copán, localizada perto da fronteira com a Guatemala é um dos pontos turísticos de Honduras.
 
. Moeda: O nome da moeda (lempira) foi dada em homenagem ao chefe maia Lempra, que lutou contra os espanhóis. Antes de 1933 a moeda oficial era Reales ou Peso.
 
. História: O país foi “descoberto” por Cristóvão Colombo, em julho de 1502, em sua quarta e última viagem ao continente. A colonização e o controle espanhol sobre as terras hondurenhas não foi fácil. De 1523 a 1539 espanhóis e maias enfrentaram um período de guerra, com vitória dos primeiros sobre os nativos.

Em 1570, Honduras passou a fazer parte da Capitania Geral de Guatemala, também sob domínio espanhol.

No ano de 1821, Honduras foi incorporada ao México, mas em 1840 houve a proclamação da República e esta se tornou um país independente.

Honduras enfrentou diversos conflitos por disputa de terras: em 1871 e, depois, em 1904 e 1906 com a Nicaraguá (disputa quanto à região fronteiriça de ambos), assim como, em 1969, com El Salvador (disputa pelas ilhas dos Cisne, as quais foram restuídas a Honduras).

No período de 1970 a 1980, as guerras civis na Nicaraguá e em El Salvador gera uma grande instabilidade na região (América Latina e, mais especificamente na América Central), com efeito em Honduras e outros países.
 
Com a aprovação da nova Constituição do país, em 1982, e tendo o apoio dos EUA, Honduras passou a integrar o plano de defesa desta última potência, no ano seguinte. Em razão disso, o território hondurenho passa a servir de base para treinamento de soldados estadunidenses.
 
Em 1989, Rafael Leonardo Callejas é eleito presidente de Honduras sob uma conjuntura histórica marcada pelo embate entre guerrilheiros de esquerda e as forças de segurança. As negociações levaram a uma anistia do governo em 1991.
 
. Altitude: Dentre os países da América Central, Honduras possui o território mais montanhoso. As altitudes ao longo do território oscilam entre 600 e 2.700 metros.
 
. Bandeira Nacional: A bandeira nacional de Honduras foi adotada em 9 de janeiro de 1866. Ela foi inspirada na bandeira dos Estados Unidos da América Central, antigo e já extinto país, que durou 17 anos e abrangia as atuais terras da Guatemala, El Salvador, Honduras, Nicaraguá e Costa Rica.

Na bandeira há três faixas iguais horizontais, sendo que as duas azuis representam o oceano Pacífico e o mar do Caribe. As cinco estrelas azuis em forma de X, na faixa branca, representam as 5 nações deste antigo país.



Imagem capturada da Internet

. Brasão: O brasão do país é composto por símbolos alusivos ao seu território e a sua história. Na parte superior, um conjunto de flechas (população indígena) e dois “chifres da abundância”, contendo frutas e flores.
 
Na parte central deste, de forma ovalada há uma faixa com a seguinte expressão “República de Honduras, Libre, Soberana e Independiente – 15 de Septiembre 1821”. Dentro deste aparece um céu azul e sobre a água do mar, uma pirâmide e duas torres com um arco-íris. Há o Sol nascente abaixo deste e um vulcão entre os dois oceanos (Atlântico e Pacífico). Estes símbolos representam não só a história como, também, o território hondurenho.

Na parte inferior do Brasão há algumas árvores das espécies Pinus e Carvalhos (recursos vegetais), minas (ouro e prata) e ferramentas de mineiros (atividades econômicas extrativistas).



Imagem capturada da Internet


. Hino Nacional: O Hino do país (Tu Bandera És Un Lampo de Cielo - Sua Bandeira é uma Luz do Céu) foi escrito em espanhol, em 1915, por Augusto Constancio Coello e a música por Carlos Hartling.
 
. Golpe 2009: No último dia 28 de junho de 2009, o país sofreu um golpe de estado, pela força militar (Exército) e com apoio da Corte Suprema (Poderes Judiciário e Legislativo), que depôs o presidente Manuel Zelaya. Este foi exilado do país e enviado para San José, na Costa Rica.

A crise política foi acirrada após o referido presidente ter realizado uma consulta nacional acerca da possibilidade de haver uma quarta urna nas eleições gerais de 29 de novembro para convocar uma Assembleia Constituinte, com a intenção de alterar a atual Constituição do país

A pesquisa foi considerada ilegal pela Justiça, pelo Congresso e pelo Ministério Público.
O presidente deposto, o Congresso Nacional indicou Roberto Micheletti (Partido Liberal) para presidir o país até o final do mandato de Manuel Zelaya.
(Maiores detalhes na próxima postagem)



HINO NACIONAL DE HONDURAS

Tu Bandera És Un Lampo de Cielo


REFRÃO:
Tu bandera es un lampo de cielo
Por un bloque, de nieve cruzado;
Y se ven en su fondo sagrado
Cinco estrellas de pálido azul;
En tu emblema que mar rumoroso
Con sus ondas bravías escuda,
De un volcán, tras la cima desnuda
Hay un astro, de nítida luz.

Verso 1
India virgen y hermosa dormías
De tus mares al canto sonoro,
Cuando echada en tus cuencas de oro
El audaz navegante te halló;
Y al mirar tu belleza extasiado
Al influjo ideal de tu encanto,
La orla azul de tu espléndido manto
Con su beso de amor consagró.

Verso 2
De un país donde el sol se levanta,
Mas allá del Atlante azulado,
Aquel hombre que te había soñado
Y en tu busca a la mar se lanzó.
Cuando erguiste la pálida frente,
En la viva ansiedad de tu anhelo,
Bajo el dombo gentil de tu cielo
Ya flotaba un extraño pendón.

Verso 3
Era inutil que el indio tu amado
Se aprestara a la lucha con ira,
Porque envuelto en su sangre Lempira,
En la noche profunda se hundió;
Y de la épica hazaña, en memoria,
La leyenda tan sólo ha guardado
De un sepulcro el lugar ignorado
Y el severo perfil de un peñón.

Verso 4
Por tres siglos tus hijos oyeron
El mandato imperioso del amo;
Por tres siglos tu inútil reclamo
En la atmosfera azul se perdió;
Pero un día gloria tu oído
Percibió, poderoso y distante,
Que allá lejos, por sobre el Atlante,
Indignado rugía un León.

Verso 5
Era Francia, la libre, la heroica,
Que en su sueño de siglos dormida
Despertaba iracunda a la vida
Al reclamo viril de Dantón:
Era Francia, que enviaba a la muerte
La cabeza del Rey consagrado,
Y que alzaba soberbia a su lado,
El Altar de la Diosa razón.

Verso 6
Tú también, ¡oh mi patria!, te alzaste
De tu sueño servil y profundo;
Tú también enseñastes al mundo
Destrozado el infame eslabón.
Y en tu suelo bendito, tras la alta
Cabellera del monte salvaje,
Como un ave de negro plumaje,
La colonia fugaz se perdió

Verso 7
Por guardar ese emblema divino,
Marcharemos Oh Patria a la muerte,
Generosa será nuestra suerte,
Si morimos pensando en tu amor.
Defendiendo tu santa bandera
Y en tus pliegues gloriosos cubiertos,
Serán muchos, Oh Honduras tus muertos,
Pero todos caerán con honor.



Fontes de Consulta:

 
. Outros...


Todas as imagens abaixo foram capturadas da Internet com o intuito de ilustração






Capital Tegucigalpa







Ruínas de Copan



















































Nenhum comentário: